Notícia

O Google não encontra meu site em Flash


Criação e Otimização de Sites Você levou um tempo analisando se era melhor fazer o site em Flash ou HTML. Escolheu Flash e depois descobriu que Google tem um pequeno problema para indexar SWF. O que fazer?Tempos atrás, a maior preocupação ao desenvolver um site em Flash era que pouca gente tinha o plug–in instalado. Você fazia o site, colocava no ar, mas o amigo do amigo do seu cliente não conseguia ver. O cliente vinha te cobrar, pois você prometeu fazer um site acessível para todo mundo.Hoje em dia, segundo a NPD Research, 98,3 dos usuários têm Flash instalado (veja artigo “Verdades e mentiras sobre o Flash”, ao lado), mas a situação não mudou muito. Você faz o site, coloca no ar, mas o amigo do amigo do seu cliente não consegue encontrá–lo no Google. Lá vem reclamação.Se o Google se dá muito bem com HTML, inclusive quando se usa frames e pop–ups, será mesmo que ele não faz buscas sites em Flash?Na realidade ele faz, porém ele só encontra textos em arquivos SWF exportados até a versão 5 ou arquivos da versão 6 em diante com a opção de compressão desmarcada. Na prática, basta você abrir um arquivo SWF no Notepad. O que você conseguir ler ali será o que os robôs do Google também conseguirão indexar.Isso significa que a partir de agora teremos que fazer sites usando o SWF em versões antigas ou sem compressão?Mesmo em versões antigas, o Google pode ter dificuldades para indexar sites em Flash.Vamos partir do ponto que não podemos limitar a tecnologia de um site simplesmente porque um sistema de busca não pode encontrá–lo. Os sites de busca é que precisarão se adaptar futuramente. Porém podemos criar alternativas para que o Google e outros sites de busca façam a indexação da melhor maneira possível.Com base nesta pesquisa, desenvolvi algumas soluções para a incompatibilidade do Google com o Flash. Veja a seguir:O site em Flash nem aparece nos resultados da busca. O Google demora alguns dias para indexar seu site. Se você o colocou no ar hoje, tente fazer a busca na semana que vem. Criar meta tags eficientes pode ser um bom começo. Selecione cuidadosamente palavras–chave que tenham a ver com o site. Use a ética e o bom senso, ou seja, não coloque a palavra “sexo” se seu site fala de gastronomia.O Google não encontra o texto que está dentro do Flash. Em raras ocasiões ele pode encontrar, porém ele não faz leitura de SWF comprimido. Para burlar o problema, o próprio Flash, ao publicar em HTML, cria tags invisíveis (hidden tags ou comments). Mas o Google foi treinado para ignorá–las. A melhor solução é criar uma DIV invisível com tags H1, H2, H3. Esta DIV deve possuir um texto muito resumido do conteúdo do site. Na prática isso só funciona com sites pequenos e sem muita informação.O site em Flash tem page rank muito baixo. Diz a lenda que o Google utiliza as tags H1 para dar alguns PageRanks (pontos) a mais para cada site. Você pode usar as tags invisíveis H1 para os itens principais, as H2 para secundários e assim por diante.O Google não encontra nenhuma página interna do site. Sites com apenas a abertura em Flash podem fazer com que o Google não consiga acessar as páginas internas. Este problema pode ser resolvido facilmente criando um link em HTML para uma página interna com o nome de “pular abertura”.O Google não entende menus em Flash. O Google faz a indexação de sites pulando de link em link, portanto ele não consegue identificar links dentro de SWF. Para resolver o problema é necessário criar um caminho para os robôs do Google navegarem.Se você tem um site híbrido, no qual apenas os menus são em Flash e o conteúdo em HTML, basta inserir um menu em HTML minúsculo e discreto no rodapé de todas as páginas. Seria útil ter também um mapa do site em HTML para facilitar ainda mais as buscas. Tente usar o Google Sitemaps (beta).De quebra, você vai acabar criando uma alternativa de navegação para os 2 de usuários que não tem o plugin do Flash instalados no computador. Também facilitará o acesso por outras plataformas como celulares e PDAs e a vida de quem não tem paciência ou conexão suficientes para esperar o Flash carregar.Se você for um desenvolvedor avançado, existem ainda alternativas complexas como usar um javascript no HTML para controlar o Flash. Assim ao clicar em um link do Google para o seu site, o javascript levaria até o frame de interesse do visitante. Mas talvez isso complique muito mais as coisas.Uma coisa interessante: você pode usar a incapacidade de leitura do SWF comprimido para esconder endereços de e–mail em um Flash e impedir que programinhas que caçam e–mails na internet enviem spam para você.
Todos os direitos reservados.
Email: contatos@leandrotoricelli.com.br
Telefone: (11) 9 7224-3373
Leandro Toricelli